JUSTIFICATIVAS

Existe uma forma de pensar e construir conhecimentos que somente a Filosofia dispõe e que pode auxiliar os jovens a lançar as bases para uma compreensão da realidade que seja menos reativa e naturalizante e passe a ter uma postura mais problematizadora, mais crítica, mais analítica e que se habitue a buscar os fundamentos das ideias, dos discursos e das práticas humanas, entendendo-as como expressões de posições políticas e ideológicas. Essa forma de pensar e essa busca são típicas do pensamento filosófico. O desenvolvimento do senso crítico do estudante também será a tônica dessa disciplina. O estudo de filosofia no ensino médio é de fundamental importância como área de conhecimento e como instrumento de desenvolvimento de capacidades fundamentais no aprendizado do ser humano, como: criatividade, pensamento lógico, formação moral e ética, postura crítica, interpretação e produção de textos, autonomia, expressão, responsabilidade, entre outras. A filosofia possui o papel de ser útil indiretamente, contribuindo para a evolução das ciências de um modo geral. Filosofia não é ciência e jamais será, pois seu objetivo maior é o de se manter em permanente pesquisa, dúvida, crítica, questionamento. A filosofia não almeja dar respostas definitivas sobre as coisas e também não segue o método científico. Sua postura é a da liberdade de pensamento que a desobriga de respostas categóricas. Quem problematiza, questiona, critica é o filósofo. O filósofo é o chato que fica perguntando “por quê?”, que não se satisfaz com as soluções encontradas, que vê problemas em conhecimentos tidos como certos. Na filosofia o enfoque está na construção de um pensar individual. Isto não significa que estejamos definindo que o estudo filosófico seja algo egoísta ou alienado da sociedade, mas queremos afirmar seu papel na construção da individualidade.